PM húngaro elogia Passos e diz que Portugal não foi dor de cabeça para a sua presidência

O primeiro-ministro da Hungria, país que assegurou a liderança rotativa da União Europeia no primeiro semestre do ano, elogiou hoje o primeiro-ministro português e garantiu que Portugal não constituiu uma dor de cabeça para a sua presidência europeia.

Falando em Bruxelas, no final da cimeira de chefes de Estado e de Governo da UE que assinalou a estreia europeia de Pedro Passos Coelho, Viktor Orban disse que o novo primeiro-ministro português é alguém com quem é "muito fácil" trabalhar.

"Pertencemos à mesma família política (Partido Popular Europeu), cooperávamos por isso ainda antes da decisão da nação portuguesa de lhe pedir para se tornar primeiro-ministro, e temos relações pessoais muito boas. Ele é um homem muito acessível, e por isso é muito fácil de trabalhar com ele", disse.

Se para Passos Coelho, o Conselho Europeu realizado entre quinta-feira e hoje constituiu uma estreia, também a Hungria se estreou este ano a presidir à União Europeia, com Orban a fazer um balanço positivo desta nova experiência, quando se preparara para passar à Polónia a liderança rotativa da UE, a 01 de julho.

Questionado sobre se Portugal constituiu uma "dor de cabeça" para a sua presidência, face ao processo de pedido de resgate, que acabaria por se concretizar em maio, Viktor Orban garantiu que não, respondendo com boa disposição.

"Não, não. Vocês são uma grande nação. Boa música, bom futebol, gente simpática. Vocês têm dificuldades, mas são uma grande nação, pelo que nunca é difícil para mim trabalhar convosco", afirmou com um sorriso.

Ler mais

Exclusivos