Líderes europeus interrompem os trabalhos, voltam a debater orçamento ao meio-dia

Os líderes da União Europeia interromperam, novamente, a discussão sobre o orçamento comunitário, estando o recomeço dos trabalhos previsto para o meio-dia de Bruxelas (11:00, de Lisboa), anunciou o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

A interrupção tem como objetivo que os líderes dos 27 analisem a nova proposta de orçamento, permitindo também a realização de reuniões bilaterais.

A maratona negocial, que foi já várias vezes interrompida, decorre há quase 14 horas, numa segunda tentativa para se chegar a acordo sobre as perspetivas financeiras para os próximos sete anos, depois de, em novembro, as negociações terem falhado.

O Conselho Europeu para discutir o Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia (UE) para o período 2014-2020 começou, na quinta-feira, pelas 20:45 locais (19:45 de Lisboa), cerca de seis horas depois do previsto.

Em cima da mesa está uma nova proposta, apresentada por Van Rompuy, de madrugada, que prevê um novo corte de 13 mil milhões de euros, a juntar aos 80 mil milhões propostos em novembro.

Neste contexto, o orçamento comunitário para 2014-2020 contempla 960 mil milhões de euros em compromissos, o que representa uma redução de 33 mil milhões relativamente ao quadro financeiro anterior (2007-2013).

Em novembro, o presidente do Conselho havia apresentado uma proposta de orçamento de 973 mil milhões, 80 mil milhões a menos do que o proposto pela Comissão Europeia e 20 mil milhões abaixo do orçamento para 2007-2013.

No que respeita a Portugal, a nova proposta de orçamento plurianual da União Europeia apresentada hoje pelo presidente do Conselho Europeu contempla um envelope de 500 milhões de euros para o desenvolvimento rural, além do "cheque" de 1.000 milhões, oferecido em novembro.

Ler mais

Exclusivos