Letónia integra desde hoje a zona euro

A zona euro passou hoje a contar com 18 membros, com a adesão formal da Letónia a acontecer seis meses depois de ter recebido o derradeiro aval dos ministros das Finanças da União Europeia (UE).

O processo da adesão da Letónia ao grupo dos países da moeda única começou no dia 5 de junho de 2013, com uma proposta formal apresentada pela 'Comissão Barroso', baseada no "relatório de convergência" elaborado pelo executivo comunitário, segundo o qual a Letónia "atingiu um alto nível de convergência económica sustentável com a zona euro".

Seguiu-se o aval dos chefes de Estado e de Governo da UE - que felicitaram o país báltico "pelo grau de convergência que conseguiu, graças a boas políticas económicas, orçamentais e financeiras - do Parlamento Europeu e dos ministros das Finanças europeus.

A ocasião foi assinalada com uma cerimónia no banco público Citadele, em riga, a capital da Letónia, em que participaram o primeiro-ministro Valdis Dombrovskis, o seu homólogo estoniano, Andrus Ansip, o ministro das Finanças letão, Andris Vilks, e o governador do banco central deste país.

A Letónia é o sexto dos "novos" Estados-membros (os 12 países que aderiram à União Europeia em 2004 e 2007) a adotar o euro como moeda, depois de Eslovénia (2007), Chipre e Malta (2008), Eslováquia (2009) e Estónia (2011) já se terem juntado a Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Luxemburgo e Portugal.

Os observadores sublinham, contudo, a existência de fortes reticências por parte dos cerca de dois milhões de letões à introdução da moeda única, que substitui o lats, divisa nacional nacional criada em 1993 para substituir o rublo da era soviética.