Itália admite recurso a medidas legais para contestar exigências de capitalização

A Associação Bancária Italiana (ABI) levará a cabo todas as medidas possíveis, incluindo legais, para contestar os últimos dados divulgados pela Autoridade Bancária Europeia que aumentam as necessidades de capitalização dos bancos de Itália.

O anúncio foi feito hoje pelo presidente da ABI, Giuseppe Mussari, durante um congresso em Roma. O presidente da ABI, citado pela agência noticiosa Efe, contestou fortemente os dados divulgados na quinta-feira pela Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla original), que aumentam de 14.770 para 15.366 milhões de euros as necessidades de capital da banca italiana para cumprir as novas exigências da União Europeia. Segundo os dados da EBA, as necessidades da banca italiana só são superadas pela Grécia e pela Espanha.

"A ABI recorrerá a todas as vias possíveis, incluindo a legal, para opor-se ao exercício" da EBA, afirmou Mussari em declarações aos órgãos de comunicação italianos, citados pela Efe. "Trata-se de um exercício errado, que não tem em conta as especificidades dos bancos italianos e que os ofende profundamente. (...) É uma evidente injustiça", disse o presidente da ABI. Para Giuseppe Mussari, "a tragédia é identificar tudo com a designação 'banca', colocando regras idênticas para quem faz um trabalho distinto". O presidente da ABI disse que, com as novas normas, "ficam em grave dificuldade os bancos que sempre adquiriram títulos da dívida do Estado".

Dos cinco bancos italianos que se submeteram com êxito às provas de solvência da EBA até agora, só o Intesa Sanpaolo, a segunda entidade financeira do país, não terá que fazer uma capitalização extraordinária para atingir os nove por cento de capital de máxima qualidade que a União Europeia exige até junho de 2012. Os últimos dados da EBA reviram em alta as necessidade de dois bancos italianos: Unicredit (de 7.370 para 7.900 milhões de euros) e Banca Monte dei Paschi di Siena ( de 3.000 para 3.260 milhões de euros). Por outro lado, a EBA baixou as exigências de capitalização para o Banco Popolare (de 2.810 para 2.700 milhões de euros) e do Ubi Banca (de 1.480 para 1.390 milhões de euros). De acordo com os dados da EBA, os bancos europeus precisam de 114,7 mil milhões de euros, mais 8 mil milhões de euros em relação à anterior estimativa da autoridade.

Ler mais

Exclusivos