Galp garante que cumpre todas as obrigações

A Galp Energia disse hoje estranhar o comunicado do regulador de energia, ERSE, que anunciou uma auditoria à empresa por falta de informação no mercado de gás, e garantiu que cumpre todas as obrigações.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) disse hoje, em comunicado, que determinou "a realização imediata de uma auditoria independente às empresas de distribuição de gás natural do grupo Galp e à Tagusgás", no sentido de "avaliar os critérios e as circunstâncias em que têm sido apurados, nomeadamente até final do ano de 2011, os valores de consumo e número de clientes em cada uma das suas redes de distribuição".

Também em comunicado, a Galp Energia adianta que "as questões levantadas pela ERSE prendem-se com a coerência estatística entre os dados de 2012, ano do arranque em pleno do mercado liberalizado, e o período anterior, em que o mercado livre de gás natural era ainda incipiente, abrangendo menos de cinco mil clientes, um universo reduzido face aos mais de 100 mil atuais".

O regulador de energia "tem já em seu poder a informação mais rigorosa e detalhada disponível relativa aos valores de consumo e número de clientes das empresas distribuidoras de gás natural do grupo Galp Energia no ano de 2012, como aliás a própria ERSE reconheceu em reuniões com representantes da Galp", acrescenta a empresa.

Salienta que os dados em causa "não são diretamente comparáveis devido a ajustamentos o processamento da informação de mercado" e sublinha que nos contactos mantidos com a ERSE "tinha já ficado acordado que os dados de 2011 e anteriores seriam recalculados de forma a serem comparáveis com os dados atuais".

Por isso, a "Galp Energia estranha a emissão de um comunicado de imprensa sobre um assunto que tem vindo a ser discutido entre a empresa e o regulador" e garante que "cumpre as obrigações decorrentes do contrato de concessão do serviço de distribuição de gás natural e dos restantes regulamentos do setor, nomeadamente no que se refere à prestação de informação ao mercado e à entidade reguladora".

Ler mais

Exclusivos