Galp garante que "combustíveis não são todos iguais"

A Galp Energia disse hoje que, apesar de não haver diferenças entre os combustíveis comercializados por si e por outros "que lhe são comprados", são diferentes quando chegam ao cliente final porque passam por processos de aditivação.

Em comunicado, a empresa liderada por Manuel Ferreira de Oliveira, responde assim a um estudo comparativo divulgado hoje pela Deco, que conclui que o gasóleo comercializado pela Galp, mesmo os 'premium', é igual ao da concorrência.

A instituição de defesa dos consumidores anunciou hoje em conferência de imprensa que já denunciou o caso às autoridades e que vai levar um abaixo-assinado ao Ministério da Economia para que atue no sentido de repor a verdade.

A Deco diz mesmo que "a diferença de preço entre o gasóleo Gforce e Hi-Energy, ambos da Galp, resulta de uma ação enganosa e estamos perante uma prática comercial desleal", acrescentando que "as promessas de menor consumo, menores emissões poluentes e maior proteção do motor com poupanças futuras não passam de 'marketing' para cobrar mais uma dezena de cêntimos ao litro".

Perante esta denúncia, a Galp refere que "a maior parte dos combustíveis comercializados em Portugal sai das refinarias da Galp Energia" e que "não há diferenças entre os combustíveis comercializados pela Galp Energia e os que lhe são comprados por outras entidades para comercialização, os quais cumprem as especificações mínimas".

No entanto, a gasolineira defende-se adiantando que, "antes de chegarem ao cliente final, os combustíveis passam por circuitos e processos diferentes e é aqui que as principais petrolíferas fazem toda a diferença, uma vez que os combustíveis que comercializam passam por processos avançados de aditivação, os quais são sujeitos a um rigoroso controlo de qualidade".

A empresa chega à conclusão que "os resultados em termos de consumo mostram que os gasóleos da Galp Energia analisados permitem poupanças efetivas de combustível o que, objetivamente, confirma que os combustíveis não são todos iguais".

No comunicado, a Galp refere que os resultados dos testes "exaustivos" feitos por várias entidades, inclusivamente construtores automóveis, "são bastante mais favoráveis do que os que foram encontrados pela Deco, não apenas em termos de poupança de combustível como de proteção e manutenção dos motores, de redução de emissões poluentes e outras".

Ler mais

Exclusivos