Falta de orçamento trará "enorme custo" para a Europa

O presidente da Comissão Europeia alertou hoje, em Bruxelas, para "enorme custo" que vai acarretar a falta de um orçamento para a UE.

"O custo de não haver um orçamento é enorme, quer a nível político, quer económico", disse José Manuel Durão Barroso, sublinhando a necessidade de se chegar a "um acordo atempadamente".

O chefe do executivo comunitário - que falava em conferência de imprensa no final da cimeira europeia dedicada ao Quadro Financeiro Plurianual da União Europeia para o período 2014-2020 -- deixou uma nota positiva: "Há vontade política para se chegar a um acordo".

"Estas são as terceiras negociações orçamentais em que participo", lembrou, sublinhando a confiança na possibilidade de acordo.

A cimeira extraordinária de chefes de Estado e de governo da UE sobre o orçamento comunitário plurianual para 2014-2020 terminou hoje à tarde, em Bruxelas, sem que os líderes europeus tenham alcançado um compromisso.

Após a ronda de consultas de quinta-feira, Van Rompuy decidiu manter um corte de 80 mil milhões de euros para o orçamento 2014-2020, à semelhança da proposta original do presidente do Conselho Europeu, mas com uma redistribuição dos cortes que atenua as reduções nas áreas da coesão e agricultura, consideradas prioritárias por diversos Estados-membros, caso da França, Espanha ou Portugal.

A Comissão Europeia apresentou uma proposta de envelope financeiro de 1.033 mil milhões de euros para a UE.

Ler mais

Exclusivos