Efacec quer criar consórcio para sinalização e telecomunicações

A Efacec quer criar um consórcio para concorrer ao concurso para a sinalização e telecomunicações da rede portuguesa de alta velocidade (TGV), disse hoje o membro da comissão executiva da empresa Alberto Barbosa.

"Estamos interessados na alta velocidade", disse Alberto Barbosa, referindo que a empresa, que já formou um consórcio para a manutenção e fornecimento de energia para o projecto, está interessada no concurso para a sinalização e telecomunicações.

"Estamos a tentar criar um 'cluster' [pólo tecnológico] de empresas portuguesas que se possa posicionar como ganhador" no concurso para sinalização e telecomunicações, afirmou.

Admitindo que "ainda não há decisões" sobre este concurso que, de acordo com o calendário do Governo deveria ser lançado este ano, Alberto Barbosa salientou a importância de concretizar o projecto de projecto português de alta velocidade.

"A alta velocidade é uma absoluta inevitabilidade. Não é um concurso, não é uma obra. É um mercado do qual Portugal não pode ficar de fora", disse, referindo que têm de ser criadas "condições para que a tecnologia fique em Portugal, para que daqui a cinco ou dez anos estejamos a exportar tecnologia nessa área".

Alberto Barbosa falava durante a conferência de imprensa em que foi apresentado o consórcio para a exploração do Metro do Porto, do qual a Efacec faz parte, juntamente com a Transdev e três operadores rodoviários (VALPI, Espírito Santo e Empresa de Transportes Gondomarense).

Ler mais