EDP reforça liderança no mercado livre de eletricidade

A EDP Comercial continua a liderar o mercado livre de eletricidade, quer em número de clientes, quer em consumos, revela o regulador da energia no seu relatório mensal publicado hoje.

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) refere que, em dezembro passado, "a EDP Comercial continuou como o principal operador no mercado livre, quer em número de clientes (cerca de 80% do total de clientes), quer em consumos (cerca de 42% dos fornecimentos no mercado liberalizado)", e acrescenta que consolidou a sua posição face a novembro "com aumentos de quota em cerca de 2,2% e 0,9%, respectivamente".

Em relação ao número de clientes de cada empresa, sublinha a ERSE, "não ocorreram grandes alterações nas quotas entre novembro e dezembro, sendo a maior variação a registada pela Endesa, com um decréscimo de 2 pontos percentuais, absorvida pela EDP".

As espanholas Iberdrola e a GN Fenosa, diz o regulador, viram diminuir a sua quota em 0,1 pontos percentuais cada, "ao contrário da Galp, cuja quota aumentou 0,1 pontos percentuais".

Relativamente ao último mês do ano passado e no que respeita a consumos abastecidos, houve as quebras de quota de mercado de 1 ponto percentual registadas pela Iberdrola (21,2%), de 0,2 ponto percentual pela GN Fenosa (4,6%)". Quem ficou a ganhar foi a EDP (42,1%), a Galp (3,6%) e a Endesa (23,6%).

No segmento de clientes domésticos, em que pela primeira vez se ultrapassaram um milhão de clientes, "há a registar uma nova perda de quota da Endesa (10,6%), em cerca de 1,6 p.p. que são captados na totalidade pela EDP, com 82,3% dos fornecimentos do segmento de clientes domésticos", indica a ERSE no relatório.

A Galp, que ganhou uma quota de 0,1 pontos percentuais, "passa a deter cerca 4,5% dos fornecimentos no segmento, seguida pela espanhola Iberdrola, com cerca de 2,4%", adianta o regulador e acrescenta que a evolução da empresa portuguesa liderada por Manuel Ferreira de Oliveira nos últimos meses "explicita uma aposta deste comercializador no segmento doméstico, através da oferta conjunta de gás natural e eletricidade, havendo já quatro comercializadores com quota de mercado superior a 1% no segmento de clientes domésticos e cinco com oferta concretizada".

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.