Idade média no Estado sobe para os 43,4 anos

O secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos Santos, falou hoje sobre a subida da idade média dos funcionários públicos, que se situará em 2010 nos 43,4 anos.

"Há um envelhecimento médio da Administração Pública portuguesa", disse o governante durante uma iniciativa organizada pelo Instituto Nacional de Administração. Castilho dos Santos explicou que o valor da idade média dos funcionários públicos consta do último boletim observatório do emprego público (BOEP), publicado na sexta feira, e significa uma subida de mais de um ano, quando comparado com o valor médio de há cinco anos (42,3 anos).

De acordo com o BOEP, a percentagem de trabalhadores com menos de trinta anos caiu entre 2005 e 2010 de 14 para 10,5 por cento. Por seu turno, os trabalhadores da administração central com idades compreendidas entre os 45 e os 64 anos no mesmo período terão crescido 4,6 pontos percentuais, representando agora 48 por cento do total de emprego na administração central.

O peso do emprego feminino na administração central, por sua vez, "continua bastante acima do valor do mesmo rácio para o conjunto do mercado de trabalho: em meados de 2010 a taxa de feminização na administração central situa-se na ordem dos 61,6 por cento, contra os 47,6 por cento registado para a população activa".


Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.