Grupo espanhol Orizonia despede quatro mil

O grupo turístico espanhol Orizonia anunciou o fecho parcial da empresa e um processo de despedimento coletivo que afetará até 4.000 trabalhadores e que deverá ser formalizado na próxima quarta-feira.

A decisão surge depois de, na sexta-feira, a empresa ter apresentado num tribunal de Palma de Maiorca um pedido de proteção que pretendia evitar a declaração de insolvência durante quatro meses.

Esse prazo deveria ser utilizado para negociar com credores e investidores, depois de a Comissão Nacional de Concorrência espanhola ter decidido atrasar, para analisar em maior profundidade, a sua autorização para a integração da Orizonia na Globalia.

A decisão de sexta-feira foi conhecida numa tarde atribulada no aeroporto de Barajas, em Madrid, quando 170 passageiros de um voo entre a capital espanhola e Cancun, da empresa Orbest -- que pertence ao grupo Orizonia -- ficaram em terra.

Enquanto decorria o prazo pedido no tribunal, a Orbest "interrompeu transitoriamente alguns dos voos", afetando passageiros, tanto em Espanha, como outros que estavam de férias no México.

Agora a empresa dá um passo mais, tendo o diretor da Orizonia, José Duato, anunciado aos trabalhadores um Expediente de Regulação de Emprego (ERE) -- como é conhecido o processo de despedimento coletivo em Espanha -- que pode afetar até 4.000 trabalhadores.

Nesse encontro com os trabalhadores, e segundo fontes sindicais, Duato disse que a Orizonia só pretende manter parte da companhia aérea Orbest, desmantelando o resto do grupo, incluindo a agência de turismo "Viagens Iberia".

Fontes de Orizonia explicaram que, "perante a complexidade de procurar uma solução para a continuidade de toda sua atividade, derivada da solicitação do pré-concurso de credores na passada sexta-feira, a empresa centrará os seus esforços em procurar soluções que garantam a viabilidade do maior número de postos de trabalho possíveis".

"A companhia concentra já seus esforços nesta linha de trabalho, e confia em poder formalizar nos próximos dias soluções que deem continuidade a várias das suas linhas de negócio", disse.

A espanhola Globallia, que em dezembro assinou um acordo para a aquisição da Orizonia, continua à espera do que acontecerá nos próximos dias com a empresa.

Inicialmente, a decisão da Comissão da Concorrência deveria ser anunciada na semana passada, mas foi adiada para uma análise mais profunda e pode agora ser divulgada apenas dentro de dois meses.

Fontes da Globalia explicaram que o objetivo inicial era compra a totalidade da Orizonia, operação autorizada pelo Conselho de Administração, que agora, depois dos recentes acontecimentos, terá que voltar a analisar o assunto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG