Greve dos Transportes Sul do Tejo com adesão de 90%

A adesão à greve de 24 horas dos trabalhadores da empresa Transportes Sul do Tejo (TST), que começou às 03:00, é de 90%, disse à agência Lusa Luís Leitão, da União de Sindicatos de Setúbal.

"Estou na zona de Almada, Seixal, e a informação que disponho neste momento é de que a adesão à greve é de 90%", informou o sindicalista, adiantando que, dos 220 autocarros que deveriam estar na estrada apenas, 25 estão em circulação.

Os trabalhadores da empresa TST realizam hoje uma greve de 24 horas, exigindo o pagamento adequado do trabalho extraordinário e o cumprimento dos descansos compensatórios.

Luís Leitão disse à Lusa que as "perspetivas da greve são boas", salientando que às 10:00 os trabalhadores vão reunir-se em plenário, onde será feito um novo balanço da paralisação e discutida a situação da empresa, bem como "acertar novas formas de luta".

O sindicalista referiu que "os motivos desta greve estão relacionados com as alterações ao código do trabalho, a necessidade de ser cumprido o Acordo de Empresa e os aumentos".

"O pagamento adequado do trabalho extraordinário e o cumprimento dos descansos compensatórios são questões centrais", segundo o sindicalista.

De acordo com Luís Leitão, a greve na empresa de transporte rodoviário vai decorrer durante 24 horas, entre as 03:00 de hoje e as 03:00 de sexta-feira.

A administração da TST, em comunicado divulgado na quarta-feira, revelou que discorda dos argumentos que estão na base do documento de pré-aviso recebido a 28 de janeiro, apesar de reconhecer que a greve "é um direito de todos os trabalhadores".

"A TST vai adotar medidas que visem atenuar o impacto da greve, através da afetação dos meios disponíveis aos serviços de maior procura", é referido ainda no comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG