Governo estuda fusão entre Refer e Estradas de Portugal

O secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, confirmou hoje que o Governo está a "estudar" a fusão entre a Refer, gestora da rede ferroviária nacional, e a Estradas de Portugal (EP).

"Temos estado a fazer um estudo aprofundado de todas as áreas da nossa tutela que ainda podem ser passíveis de operacionalização de eficiência adicional. Vemos a matéria com interesse, estamos a estudá-la mas não posso confirmar que há uma decisão. É mais uma das opções que estamos a olhar e a trabalhar", afirmou Sérgio Monteiro, em declarações aos jornalistas em Matosinhos, à margem da 2.ª edição da Via Bolsa -- Financiamento Através do Mercado de Capitais.

Questionado diretamente sobre se está em equação a fusão entre a Refer e a EP, noticiada hoje pelo Diário Económico, o governante afirmou que "está a ser olhada, como hipótese, uma integração adicional entre os gestores de infraestruturas".

Destacando que "a decisão não está tomada" nem há prazo para o fazer, Sérgio Monteiro admitiu que modelos semelhantes de gestão integrada de infraestruturas apresentam benefícios.

"Do ponto de vista de gestão de infraestruturas, os casos que existem europeus de modelos semelhantes parecem levar a pensar que há, do ponto de gestão mais eficiente dos recursos, vantagens importantes", afirmou.

Tal verifica-se "não só nas decisões de investimento, em que o modo de transporte deixa de ser concorrencial e é complementar, mas também relativamente à escala com que se abordam estratégias de alternativas de captação de investimento", acrescentou.

"Há, por isso, alguns sinais positivos", destacou.

Quanto a outras hipóteses que o Governo possa estar a equacionar, o secretário de Estado reservou detalhes.

"Estamos sempre a olhar para processos que tenham, do ponto de vista da reforma do Estado, impacto relevante, que criem valor, que possam reduzir o peso do estado na economia", observou.

O Diário Económico de hoje noticia que "Governo prepara fusão da Refer com a Estradas de Portugal", explicando que a união entre a gestora de redes ferroviárias e a entidade responsável pelas estruturas rodoviárias tem em vista a criação um único 'player' nacional no setor das infraestruturas de transportes.

O jornal acrescenta estar em cima da mesa "a criação de uma nova empresa pública de gestão de infraestruturas com mais de quatro mil funcionários", com "melhor capacidade para resolver os seus problemas financeiros numa altura em que se perspetivam novos investimentos em infraestruturas estratégicas, nomeadamente na ferrovia, que passou a ser a grande prioridade dos fundos comunitários".

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.