Governo de Berlim quer reduzir défice público em 2013

Projeto de Orçamento de Estado para 2013 prevê uma redução de quase 50% da dívida pública face ao valor previsto para o corrente ano.

O Governo alemão aprovou hoje o Orçamento do Estado para 2013, em que se prevê uma redução de 18,8 mil milhões de euros na dívida pública, quase metade dos 32,1 mil milhões previstos para este ano.

"Prosseguimos com este orçamento e o plano financeiro a médio prazo a nossa política de redução do défice favorável ao crescimento", afirmou hoje o ministro das finanças, Wolfgang Schauble, em conferência de imprensa, em Berlim.

As contas do ministro não incluem ainda, no entanto, os compromissos financeiros assumidos pelo executivo com os 16 governos estaduais, para que estes aprovem o Tratado Orçamental Europeu na segunda câmara legislativa, na próxima sexta-feira.

As cedências de Angela Merkel aos governos regionais para garantir a aprovação do Tratado deverão custar mil milhões de euros ao tesouro federal no próximo ano, segundo vários analistas.

Nas contas do Executivo de centro-direita, o défice estrutural alemão deverá baixar para 1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 e para 0,5% em 2014, para se extinguir por completo dois anos mais tarde.

O plano financeiro a médio prazo apresentado por Schauble prevê que a Alemanha deixe de contrair novas dívidas a partir de 2016, e tenha um saldo positivo, o que aconteceria pela primeira vez em 40 anos.

Schauble beneficia, como reconheceu perante os jornalistas, de uma conjuntura favorável para atingir as metas estabelecidas.

Sobretudo o aumento da receita fiscal resultante da boa situação no mercado de trabalho e do incremento do consumo privado, além dos baixos juros para vender dívida alemã no mercado de capitais, estão a impulsionar a conjuntura germânica, apesar dos riscos crescentes associados à crise na zona euro.

"É verdade, e ainda bem que é assim, mas também nos comprometemos perante os parceiros europeus a não aceitar desequilíbrios acentuados, e às vezes é preciso lembrar isso no debate interno", disse o político democrata-cristão.

Após os debates parlamentares, o OE 2013 deverá ser aprovado em novembro no Bundestag (Parlamento Federal).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG