Frente Comum fala na "maior greve dos últimos anos"

A coordenadora da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública manifestou-se hoje convicta que "esta é seguramente a maior greve dos últimos anos", cuja adesão se situava, pelas 12:00 horas, entre os 70% e os 100% a nível nacional.

"Esta greve é, seguramente, uma das greves com maior adesão realizada nos últimos anos, não vamos dizer que será a maior, mas é seguramente a maior greve de sempre dos últimos anos", disse Ana Avoila numa conferência de imprensa destinada a apresentar os números da adesão à greve na Administração Pública, que começou pelas 00:00 de sexta-feira.

De acordo com a coordenadora da Frente Comum, pelas 12:00 a adesão à greve da função pública situava-se entre os 70% e os 100%, sendo de destacar os setores da saúde, da educação, bem como as autarquias locais, com mais elevado nível de adesão.

"Esperávamos uma grande adesão à greve, sabemos do descontentamento e sabemos que mesmo com grandes dificuldades as pessoas preferem lutar pela sua estabilidade no emprego, pela defesa das funções sociais do Estado e foi isso que aconteceu", afirmou Ana Avoila.

Já na quinta-feira, a dirigente sindical antecipava uma grande adesão à greve que hoje decorre na administração pública.

"A resposta foi total e estamos convencidos que durante a tarde a adesão não vai descer. Estamos convictos que poderá, ainda, haver uma subida em alguns locais", salientou Ana Avoila.

Questionada sobre as previsões de adesão à greve feitas pelo secretário de Estado da Administração Pública, Hélder Rosalino, em entrevista ao jornal Público, e que apontavam para uma adesão em tornos dos 20%, Ana Avoila considerou que "essas previsões não valem nada" e que o Governo terá de retirar "as suas próprias ilações" perante a elevada adesão à greve de hoje.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG