Forças de segurança manifestam-se no Rossio

Dezenas de elementos das forças de segurança estão reunidos na Praça do Rossio, em Lisboa, para se dirigirem em bloco para o Terreiro do Paço, onde estão já milhares de manifestantes na concentração convocada pela CGTP.

Em frente ao Teatro Dona Maria são visíveis bandeiras da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, Associação Sócio-profissional da Polícia Marítima, Associação dos Profissionais da Guarda e de representantes dos trabalhadores da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, e dos guardas prisionais.

Em declarações à Lusa, Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical de Polícia, afirmou que a presença das forças de segurança à civil "deve-se à austeridade sentida por todos os portugueses", e à falta de resposta do Governo para solucionar as reinvindicações do sector.

Segundo o dirigente associativo, os polícias estão a ser "afetados duplamente", numa altura em que o contexto do país precisa de lhes dar "estabilidade".

Paulo Rodrigues afirmou que os agentes de segurança deram uma boa resposta à participação da manifestação de hoje, que conta já com milhares de pessoas entre os Restauradores e o Terreiro do Paço.

As forças de segurança decidiram marcar presença no protesto através da Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, que integra elementos da PSP, GNR, Polícia Marítima, Guardas Prisionais, Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

A CGTP, que convocou a manifestação para as 15:00 de hoje, acredita que esta poderá ser a maior manifestação dos últimos anos, apontando para a presença de muitos milhares de trabalhadores de todo o país no Terreiro do Paço.

A manifestação pretende mostrar ao Governo o descontentamento dos portugueses perante as medidas de austeridade impostas e defender novas políticas de desenvolvimento para o país.

Vários movimentos sociais juntaram-se à manifestação, nomeadamente, os responsáveis pelo protesto de 15 de setembro - subscritores do apelo "Que se lixe a troika! Queremos as nossas vidas!" - e a Plataforma 15 de Outubro.

A manifestação no Terreiro do Paço é precedida de um desfile, dos trabalhadores dos distritos de Lisboa e Setúbal, que parte da praça dos Restauradores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG