Exportações portuguesas para Espanha sobem 2% no 1.º trimestre

As exportações portuguesas de bens para Espanha subiram 2% no primeiro trimestre deste ano, face a igual período do ano passado, para 2.713 milhões de euros, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Em igual período, as compras de produtos espanhóis recuaram 11,1%, para 4.172 milhões de euros, com um saldo da balança comercial negativo para Portugal de 1.458 milhões de euros.

"Apesar da quebra verificada no ano passado, este primeiro trimestre reposicionou as nossas exportações para Espanha em terreno positivo, verificando-se um aumento de 2% face ao período homólogo do ano passado", disse à Lusa o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Pedro Reis comentava assim os dados das exportações para Espanha nos primeiros três meses do ano, em vésperas da XXVI Cimeira Ibérica, que junta o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o seu homólogo espanhol, Mariano Rajoy, na segunda-feira, em Madrid.

No ano passado, as exportações para Espanha, principal cliente de Portugal, recuaram 4,5%, face a 2011, e as importações caíram 6,9%, com um saldo da balança comercial negativo para Portugal de 7.596 milhões de euros.

"Apesar da contração da economia espanhola que se verificou no ano passado, é importante não esquecer que, dado o nosso grau de integração mútua, uma parte relevante das nossas vendas depende da evolução das vendas de Espanha ao exterior", disse Pedro Reis.

"As nossas empresas integram frequentemente cadeias de fornecimento de bens ou serviços que são depois exportados por empresas espanholas", afirmou.

Apesar da crise, no ano passado "muitas empresas portuugesas reforçaram as suas vendas para Espanha", nomeadamente as que trabalham para cadeias de fornecimento como os produtos agrícolas, vestuário, produtos químicos ou calçado.

Espanha é o principal cliente e fornecedor de Portugal, sendo que em 2011 havia 4.875 empresas portuguesas a exportar para aquele mercado, mais de 700 do que um ano antes, e as importadoras ascendiam a 11.883, um número que compara com as 9.070 existentes em 2010.

Entre o grupo de produtos mais exportados para Espanha estão os metais comuns, com um peso de 11,8% nas vendas totais para o país, seguindo-se o segmento agrícola, que representa 11,2% do total. Em terceiro lugar, está o vestuário, cujas exportações subiram 6,7% no ano passado, face a 2011, com um peso de 9,5%.

Questionado sobre o que está a ser feito para inverter a tendência de quebra de exportações para Espanha, depois destas terem recuado no ano passado, Pedro Reis explicou que a estratégia da AICEP visa "contrabalançar os efeitos da recessão em Espanha", que é o principal parceiro económico de Portugal.

Essa estratégia "tem vindo a ser desenvolvida desde meados de 2012 e assenta, entre outros aspetos, no desenvolvimento de ações em ambos os países, normalmente em parceria com associações empresariais, em setores de nicho identificados como tendo ainda potencial de crescimento", referiu.

Moda, têxteis-lar, bens alimentares ou tecnologias de informação são alguns desses nichos.

Além disso, foi lançado um 'roadshow' de promoção de Portugal em diversas comunidades autónomas espanholas, "numa ótica de captação de investidores, identificação de possíveis parceiros ou compradores e estimular parcerias entre empresas dos dois países com vista a aproveitar oportunidades em terceiros mercados".

Andaluzia, Navarra ou País Basco foram algumas das regiões que já receberam este 'roadshow'.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG