Estado assegura 30% do financiamento de médio/longo prazo com operação de hoje

O secretário de Estado do Tesouro e Finanças, Carlos Costa Pina, indicou hoje que com a operação sindicada de dívida de hoje Portugal executa cerca de 30 por cento do seu programa de financiamento de médio e longo prazo.

Carlos Costa Pina, que falava à Agência Lusa quando ainda decorria a operação sindicada, explicou que o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) oferecia para a emissão de hoje 3 mil milhões de euros, registando-se na altura uma procura de cerca de 6 mil milhões de euros.

Fonte oficial disse à Lusa, no entanto, que o Estado português colocou hoje sete mil milhões de euros de obrigações do tesouro a cinco anos.

O secretário de Estado afirmou que "a operação que ainda está a decorrer regista já um nível de procura em torno de cerca de seis mil milhões de euros, sensivelmente o dobro da oferta anunciada pelo Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público e verifica-se que uma vez concluída esta operação a República Portuguesa executa com isto cerca já de 30 por cento do seu programa de financiamento de médio longo prazo", afirmou.

"É uma operação que está decorrer normalmente, o que evidencia que está a ser feita em condições adequadas, face aquilo que é a situação actual do mercado secundário", explicou ainda o governante. Carlos Costa Pina considerou ainda que os resultados desta operação demonstram que "Portugal acede ao mercado, tem procura para a sua dívida", com o Governo a registar "com satisfação os resultados atingidos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG