Dívida da Madeira faz subir o défice do Estado

As dívidas que a Madeira omitiu tiveram um impacto maior do que o previsto no défice português, indica o Instituto Nacional de Estatística (INE) no procedimento de défices excessivos divulgado hoje.

O INE subiu o défice de 2,6% para 3,6% em 2008, de 9.4% para 10,1% em 2009 e de 9,1% para 9,8% no ano de 2010.

Relativamente a este ano, o défice orçamental no primeiro semestre os 8,3% por cento do Produto Interno Bruto (PIB), mais do que os 7,7% registados do primeiro trimestre do ano.

O INE no entanto mantém a previsão para o défice no final do ano nos 5,9% do PIB.

De acordo com as Contas Nacionais Trimestrais por Setor Institucional hoje divulgados, o valor do défice acumulado nos primeiros seis meses do ano atingiu os 6.995,3 milhões de euros, sendo este valor referente apenas ao primeiro semestre deste ano, em função do PIB não ajustado de flutuações sazonais também do primeiro semestre.

O impacto da dívida da Madeira foi 104,8 milhões de euros superior às previsões que o INE e o Banco de Portugal adiantaram a 16 de Setembro, mostram as estatísticas hoje divulgadas.

Para 2008, o INE reviu em alta o "buraco" da Madeira, de 139,7 milhões de euros para 174,7 milhões, enquanto para 2009 o valor passou de 58,3 milhões para 68,4 milhões e, em 2010, o valor omitido cresceu de 915,3 milhões para 975 milhões.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG