Provedor de Justiça defende eleições antecipadas

O provedor de Justiça sustentou ontem em entrevista à Antena 1 que "um refrescamento na situação política" antes de Junho de 2014 só será possível com a realização de eleições antecipadas no mesmo dia das autárquicas.

"É a única hipótese que vejo, senão só depois de junho de 2014", alerta Alfredo José de Sousa, que gostava de ver o que acontecia se o líder do CDS batesse com a porta, mas acredita que Paulo Portas aguenta até junho de 2014, data das próximas eleições legislativas.

Na entrevista a divulgar hoje de manhã pela Antena 1, o provedor de Justiça diz que o último Conselho de Estado (CE) "não foi importante", porque "apenas serviu para conhecer diversas perspetivas pós-'troika' em termos de União Europeia", observa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG