Passos esconde se TSU das pensões está no memorando

O primeiro-ministro recusa-se a revelar se o memorando relativo à sétima avaliação da troika contempla ou não a aplicação de uma contribuição de sustentabilidade sobre todas as pensões, uma medida que o CDS tinha repudiado em toda a linha, mas que ontem acabou por aceitar de forma excecional, dando o dito por não dito.

Questionado em Madrid, à margem da cimeira ibérica, sobre se a chamada TSU sobre as pensões aparece nos documentos oficiais da troika, Pedro Passos Coelho chutou para canto: "Deve ser o senhor ministro das Finanças, como aliás é hábito, a fazer esse reporte circunstanciado das medidas incluídas no âmbito do sétimo exame regular". E mais não disse. A aplicação dessa nova taxa vale 436 milhões de euros anuais e deverá entrar em vigor já no Orçamento de Estado de 2014.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG