"O pior inimigo dos desempregados são as redes sociais"

A presidente do Banco Alimentar Contra a Fome volta a falar sobre a crise e o impacto da austeridade na vida dos portugueses.

Em entrevista ao programa "Terça à Noite da Renascença", Isabel Jonet diz que "não se pode impor mais cortes a quem não aguenta mais", referindo-se aos possíveis novos cortes às pensões e reformas, impostas pelo Governo.

A responsável do Banco Alimentar falou ainda sobre os dados mais recentes do INE (Instituto Nacional de Estatística) que dão conta do crescimento do número de pessoas que estão em privação severa, que considera serem resultado dos cortes feitos nas prestações sociais.

Para Jonet, os dados do INE refletem "uma nova categoria de pessoas que está afastada do mercado de trabalho, embora sejam novos, e alguns trabalhadores pobres."

Na mesma entrevista, em relação aos desempregados, afirmou que o seu "pior inimigo são as redes sociais. Muitas vezes as pessoas ficam desempregadas e ficam dias e dias inteiros agarradas ao Facebook, ou agarradas a jogos, agarradas a amigos que não existem e vivem uma vida que é uma total ilusão."

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG