Nobel da Economia denuncia "fetiche do défice" na Europa

Joseph Stiglitz denunciou hoje aquilo que considera ser um "fetiche do défice" existente na Europa. Para o antigo presidente do Banco Mundial, os líderes europeus estão obcecados com medidas de austeridade que façam descer o défice.

"É preciso saber qual é a origem dos défices. A Europa não sairá da crise com austeridade, mas sim com crescimento económico", afirmou o economista durante a sua intervenção no Congresso anual da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED). "Se esta crise não for bem gerida haverá recessão ou um crescimento muito reduzido, com um desemprego muito elevado. E pode ser pior: pode significar o fim do euro ou uma recessão global."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG