TAP continua no Estado. Chumbada proposta de Efromovich

TAP continua no Estado. Proposta de Efromovich foi chumbada. Falta de garantia bancárias terá estado na origem. TAP consegue viver um ano sem ser privatizada, já tinha dito o Governo.

A TAP vai continuar, para já, nas mãos do Estado. A proposta de 1,5 mil milhões de euros apresentada por Gérman Efromovich terá sido chumbada hoje no Conselho de Ministros. Desde o início do processo de privatização que o Governo tem sublinhado que pode parar ou suspender a venda da TAP, desde que razões de interesse público o justifiquem. E, durante todo o processo foi aumentando as exigências que o novo dono teria de cumprir.

Gérman Efromovich teria até hoje, data da reunião final, que apresentar 25 milhões de euros em garantias bancárias. A falta destas garantias, segundo o Diário Económico, terá sido um dos argumentos para o chumbo da proposta. O outro, sabe o Dinheiro Vivo, terá sido o valor da proposta, que garantia apenas 35 milhões de euros de encaixe líquido para o Estado, segundo o 'Expresso', apesar de a proposta total rondar os 1,5 mil milhões de euros