Mota-Engil propõe dividendo de 11 cêntimos por ação

A Mota-Engil vai propor aos acionistas a distribuição de um dividendo de 11 cêntimos por ação, correspondente ao exercício de 2011, anunciou hoje a construtora portuguesa.

De acordo com o comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo liderado por Jorge Coelho informa que na assembleia-geral, agendada para 17 de abril, vai propor "para distribuição aos acionistas 11 cêntimos por ação, cativos de impostos".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Maria do Rosário Pedreira

Adeus, futuro: "O outro e o mesmo"

No tempo em que se punha pimenta na língua dos meninos que diziam asneiras, estudar Gil Vicente era uma lufada de ar fresco: ultrapassados os obstáculos iniciais daquela língua com borrifos de castelhano, sabia bem poder ler em voz alta numa aula coisas como "caganeira" e soltar outras tantas inconveniências pela voz das personagens. Foi, aliás, com o mestre do teatro em Portugal que aprendi a vestir a pele do outro: ao interpretar numa peça da escola uma das suas alcoviteiras, eu - que detesto arranjinhos, leva-e-traz e coscuvilhice - tive de esquecer tudo isso para emprestar credibilidade à minha Lianor Vaz. E talvez um bom actor seja justamente o que consegue despir-se de si mesmo e transformar-se, se necessário, no seu avesso. Na época que me coube viver, tive, aliás, o privilégio de assistir ao desempenho de actores geniais que souberam sempre ser outros (e o outro) a cada nova personagem.