Em dia de greve consumo de energia só caiu 2%

A CGTP diz que "foi das maiores greves de sempre", mas o consumo de eletricidade verificado hoje - um bom indicador do impacto das greves - não deverá registar uma grande quebra em relação ao dia anterior.

Os números não são definitivos mas, segundo apurou o Dinheiro Vivo, a quebra deverá rondar os 2%, ou seja, semelhante ao sentido nas greves anteriores, a 24 de novembro de 2010 e 2011. Nesse dois dias, o consumo caiu 2% segundo os dados divulgados na altura pela Redes Energéticas Nacionais (REN).

Se se verificar a quebra de 2%, trata-se de uma descida pouco significativa, que representará apenas dois a três GWh a menos em comparação com os 143 GWh consumidos terça-feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.