Diretora-geral do Tesouro nega divergências com ministra

Elsa Roncon dos Santos, afirmou hoje no parlamento que apresentou o pedido de demissão a 01 de julho ao então ministro das Finanças, Vítor Gaspar, "por motivos pessoais".

"Pedi a demissão ao senhor ministro das Finanças, Vítor Gaspar, e ao senhor primeiro-ministro por motivos pessoais", declarou Elsa Roncon dos Santos, que está a ser ouvida na Comissão Parlamentar de Inquérito à Celebração de Contratos de Gestão de Risco Financeiro por Empresas do Sector Público, denominados 'Swap'.

A diretora-geral do Tesouro e Finanças demissionária garantiu ainda que "não há divergências" com a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.