Avaliação das casas subiu em (quase) todo o país

O valor médio de avaliação bancária aumentou em julho 1,3% face a junho e 0,5% em relação ao mesmo mês do ano anterior, informou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A avaliação bancária do total do País fixou-se em 1.019 euros por metro quadrado (m2) em julho, enquanto nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto subiu para 1.221 euros/m2 e 953 euros/m2, respetivamente, acima dos 1.198 euros/m2 e 941 euros/m2 do mês anterior.

Todas as regiões do país registaram, em julho, aumentos no valor médio de avaliação bancária, exceto a Região Autónoma da Madeira onde se observou uma diminuição de 0,9% para 1.135 euros/m2.

Os maiores aumentos na avaliação bancária de apartamentos verificaram-se nas regiões dos Açores (35 euros/m2), do Algarve (26 euros/m2) e de Lisboa (24 euros/m2), avaliados respetivamente em 1.084 euros/m2, 1.215 euros/m2 e 1.219 euros/m2.

A região do Alentejo foi a única a apresentar uma diminuição do valor médio de avaliação dos apartamentos, fixando-se em 897 euros/m2, quando em junho tinha sido de 901 euros/m2.

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".