"A Pepsi fez vudu contra si própria"

Carlos Coelho, presidente Ivity Brand Corp, considera que a campanha da Pepsi brincando com Cristiano Ronaldo teve uma "abordagem muito amadora."

Para este criador de marcas, "uma marca da dimensão da Pepsi não deverá procurar notoriedade, ainda que com uma forte implicação local, cultivando anti-corpos desta natureza."

A Pepsi é uma marca global, pelo que o que faz na Suécia, terá sempre repercussões em outros mercados. "A Pepsi, neste caso, fez vudu contra si própria, esquecendo-se que os consumidores de todo o mundo estavam a observar e que não deixaram de penalizar a marca por este tipo de mau gosto, em forma de publicidade", reforça Carlos Coelho.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.