FMI: reformas estruturais sem consenso social fracassam

"Reformas fundamentais" como a "redução da folha salarial do setor público", "a eficiência na formação dos salários" ou "o leque de serviços oferecidos" podem redundar em fracasso se não houver "diálogo social" e "suporte popular" em relação a essas medidas.

Numa altura em que o Governo de Portugal procura o compromisso do PS em torno da austeridade orçamental a aplicar no futuro de maneira a sair do ajustamento como a Irlanda, o Fundo Monetário Internacional (FMI) relembra no relatório "Monitor Orçamental", hoje divulgado, que "reformas com pouco diálogo social podem muito bem regredir após poucos anos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG