DECO pede corte dos juros no crédido ao consumo para metade

A DECO alertou hoje a 'troika' para o sobreendividamento com cartões e linhas de crédito, alertando para a necessidade de cortar para metade o limite máximo do juro permitido em Portugal que é já de 37,2%.

"É um escândalo permitir-se taxas desta grandeza quando noutros países vizinhos as mesmas empresas de crédito praticam quase metade. 37,2% não é uma taxa de juro, é uma febre. Quem contrata empréstimos destes não sabe a taxa implícita", disse à Lusa o vice-presidente da associação de defesa dos consumidores DECO, Alberto Regueira, à saída de uma reunião com a 'troika' que decorreu no Ministério das finanças.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG