Cortar salários e pensões é o mais fácil para reduzir despesa

Novos cortes nos salários ou antecipação dos cortes previstos nas pensões são as medidas mais prováveis e com mais impacto imediato para o Estado reduzir a despesa.

Cerca de 800 milhões de euros é o valor que o novo Governo, liderado por Pedro Passos Coelho, indicou para os cortes adicionais de despesa a realizar ainda este ano para garantir as metas acordadas com a 'troika'.

Emanuel Leão, economista do ISCTE, acredita que "novos cortes nos salários de todos os funcionários públicos são preferíveis a uma solução que passe por despedimentos na função pública, como a Grécia se prepara para fazer".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG