António Arnaut: "Cortes são gravíssimos. É tirar o SNS da Constituição"

É conhecido como o "pai" do Serviço Nacional de Saúde e é com preocupação assumida que assiste ao plano de cortes neste sector. António Arnaut, 75 anos, acredita que é possível reduzir sem pôr em causa a universalidade do SNS.

Cortar 810 milhões de euros no orçamento da saúde é exequível ou é um risco?O Governo quer cortar 800 milhões, quando a "troika", depois de ter estudado tudo muito bem, lhe exigiu um corte de 500 milhões. Não se compreende que tenha querido ultrapassar a "troika" num sector tão sensível. Esses 500 milhões podiam ser reduzidos sem pôr em causa o Serviço Nacional de Saúde e cortando apenas no supérfluo, nas gorduras.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG