30 mil trabalhadores abrangidos por rescisões amigáveis

A possível declaração da construção como actividade em reestruturação, medida que visa aumentar o número de rescisões amigáveis com direito a subsídio de desemprego, poderá abranger entre 30 a 40 mil trabalhadores, disse à Lusa o presidente da Federação da Construção.

O pedido de declaração do setor como actividade em reestruturação, apresentado ao Governo em janeiro, recebeu do secretário de Estado adjunto da Economia e do Desenvolvimento Regional, António Almeida Henriques, a indicação de que o Governo está "disponível para analisar a situação em função dos pedidos", afirma Ricardo Pedrosa Gomes, líder da federação.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG