Deutsche Bank: Portugal devia ter recorrido ao resgate "há muito tempo"

Portugal devia ter recorrido à ajuda externa "há muito tempo", defendeu o chefe do gabinete de estudos económicos do Deutsche Bank, em declarações divulgadas hoje pelo jornal alemão Frankfurter Allgemeine.

"Tem de se pôr em dúvida se um governo de gestão terá força para negociar um programa de resgate ou se será aceite nas negociações sobre créditos de emergência pelo BCE [Banco Central Europeu] e pelo FMI [Fundo Monetário Internacional]", afirmou também Thomas Meyer ao Frankfurter Allgemeine.

Meyer considerou ainda que o BCE "pode ver-se obrigado na actual situção a comprar títulos da dívida publica portuguesa para evitar um incumprimento desordenado de Portugal, dado que o fundo de resgate europeu não tem mandato para tal".

A situação política em Lisboa é a notícia em destaque no suplemento de economia do Frankfurter Allgemeine, com o título "Crise de governo em Portugal preocupa mercados".

O Sueddeutsche Zeitung destaca também que "Sócrates demite-se depois do seu pacote de austeridade chumbar no Parlamento", acrescentando ser "cada vez mais provável recurso ao fundo de resgate".

O jornal Die Welt salienta que "Portugal recusa pacote de austeridade e PM demite-se", considerando tratar-se de um "rude golpe na luta contra a crise europeia das dívidas soberanas".

O principal jornal de economia alemão, o Handelsblattt, afirma que "Portugal assusta Europa antes da Cimeira de Bruxelas", salientando que "demissão de Sócrates desencadeou grave crise", gerando "preocupações e incertezas em Lisboa e não só".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG