Despesa com subsídios de desemprego sobe 14,5%

O Estado gastou 732,9 milhões de euros em subsídios de emprego e apoio ao emprego no primeiro trimestre deste ano, face ao mesmo período de 2012, um aumento de 14,5% em termos homólogos, segundo dados hoje divulgados.

De acordo com a síntese da execução orçamental de março, hoje divulgada pela Direção Geral do Orçamento (DGO), no mesmo período de 2012, o Estado tinha gastado 640,3 milhões de euros.

Em janeiro de 2013, a despesa do Estado com subsídios de desemprego e apoio ao emprego tinha registado um aumento homólogo de 33,2%, uma evolução que tem vindo a cair (apesar do aumento da taxa de desemprego), uma vez que, em fevereiro, esta despesa tinha disparado 21,1%, em termos acumulados e homólogos.

De acordo com os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados em fevereiro, a taxa de desemprego subiu em Portugal para os 16,9% no quarto trimestre do ano passado, face aos 15,8% observados no trimestre anterior, com o número de desempregados em Portugal a ultrapassar os 920 mil.

Exclusivos

Premium

Gastronomia

Quem vai ganhar em Portugal as próximas estrelas Michelin

É já no próximo dia 20, em Sevilha, que vamos conhecer a composição ibérica das estrelas Michelin para 2020. Estamos em festa, claro, e festejaremos depois com os nossos bravos, mesmo sabendo que serão poucos para o grande nível a que já chegámos. Fernando Melo* escreve sobre os restaurantes que podem ganhar estrelas Michelin em 2020 em Portugal.