Despesa com funcionários do Estado caiu mais de mil milhões

A despesa com pessoal do Estado diminuiu 14,5 por cento nos primeiros três trimestres deste ano, o equivalente a 1.066 milhões de euros, segundo dados hoje divulgados pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

O boletim de execução orçamental da DGO revela que, para o subsetor Estado, as despesas com pessoal reduziram-se este ano de 7.335 para 6.269 milhões de euros.

Esta evolução está relacionada com o corte do subsídio de férias à função pública.

No entanto, não é este o único fator para explicar a redução nos gastos com os trabalhadores do Estado. Também "a evolução do número de funcionários" justifica a redução da despesa. Ou seja, as poupanças com pessoal também estão relacionadas com uma saída de funcionários acima do esperado.

A redução nos gastos com o pessoal do Estado deverá crescer mais ainda, com o impacto do corte do subsídio de Natal.

No mês de setembro, contudo, o ritmo de diminuição da despesa abrandou. Essa quebra está relacionada com um "efeito de base", relacionado com as promoções de pessoal das forças de segurança.

Estas contas são apresentadas em contabilidade pública (ótica de caixa). Os números do défice considerados por Bruxelas para o procedimento de défices excessivos são calculados em contabilidade nacional (ótica de compromissos).

Nessa ótica, o Estado português comprometeu-se a apresentar este ano um défice orçamental de 5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG