Desemprego jovem acima dos 15% até 2018

O desemprego jovem nas economias desenvolvidas, Portugal incluído, deverá manter-se acima dos 15% até 2018, de acordo com as projeções de um relatório sobre as tendências de emprego entre os jovens da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O relatório, conhecido hoje, conclui que "poucos progressos foram feitos para reduzir o desemprego jovem nas economias desenvolvidas e na União Europeia como um todo".

As projeções da OIT para os próximos cinco anos mostram que o cenário deverá manter-se. Os números deverão ficar acima dos 17% até 2015 e descer até 15,9% até 2018.

Atualmente, a taxa de pessoas entre os 15 e os 29 anos que estão sem trabalho situa-se nos 18,1%, o mesmo número que em 2010 e o mais alto para estes países nas últimas duas décadas. O relatório sublinha, de resto, que o desemprego se distribui de forma diferente entre os vários países. Em Espanha e na Grécia situa-se nos 50% e em Portugal é de 38,7%. Alemanha, Suíça e Israel contrariam a tendência. Estão abaixo dos 10% e nos mesmos níveis de 2008.

Nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), entre 2008 e 2010, o número de pessoas sem emprego, que não estão a estudar ou a fazer estágios, cresceu 2,1% chegando aos 15,8%.

Esta taxa, de acordo com o mesmo relatório, mostra que a taxa de desemprego se reflete "em períodos mais longos de procura e piores trabalhos". Nos países da OCDE, mais de um terço dos jovens à procura de trabalho estão desempregados há mais de seis meses.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG