Dados confirmam que 2014 vai ser "ano de crescimento"

O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou hoje, em declarações à Lusa, que os dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) confirmam que Portugal "vai ter um ano de crescimento" em 2014.

A OCDE prevê que a economia portuguesa recue 1,7% este ano e que volte ao crescimento em 2014, mas apontando para um crescimento de apenas 0,4%, metade do previsto pelo Governo e pela 'troika' (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu).

"A OCDE vem confirmar que Portugal vai ter um ano de crescimento" em 2014, afirmou o ministro, que está em Moscovo, no âmbito de uma missão de captação de investimento para Portugal liderada pelo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, que termina na quarta-feira.

"Além do mais, a OCDE diz duas coisas importantes e relevantes, relativamente novas quando comparadas com a última previsão: é que o mundo no próximo ano vai crescer menos, o mundo está um pouco pior do que tinha previsto a OCDE há alguns meses e Portugal está melhor do que a OCDE tinha previsto", salientou o governante.

Em relação ao desemprego, as previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico "vêm confirmar aquilo que temos vindo a assistir na prática em Portugal, isto é, mesmo com um crescimento limitado, o desemprego está a reduzir-se e a OCDE estima que em 2014 e 2015 haja uma redução do desemprego depois de ele ter atingido o máximo em 2013", disse Pires de Lima.

"Para a OCDE, o pior em matéria do desemprego já passou", mas para o Governo ainda "há muito trabalho a fazer", salientou.

"É preciso continuarmos a trabalhar muito para que a taxa de desemprego possa continuar a descer, e até descer com mais significado do que aquilo que já prevê a OCDE", concluiu o ministro da Economia.

A OCDE espera que a taxa de desemprego continue a cair à medida que a economia recupere e apresenta perspetivas mais favoráveis do que o Governo.

Para 2013, a Organização estima que a taxa de desemprego atinja os 16,7%, baixando para os 16,1% no ano seguinte e para os 15,8% em 2015.

O Governo antecipa que a taxa de desemprego seja de 17,4% em 2013, subindo para os 17,7% em 2014 e voltando a cair para os 17,3% em 2015.

No 'Economic Outlook' hoje divulgado, a OCDE espera então uma contração da economia em 1,7% este ano, regressando a economia a terreno positivo em 2014 (0,4%) e acelerando o ritmo de crescimento para os 1,1% em 2015. O Governo, por seu lado, aponta para uma queda de 1,8% este ano e para um aumento de 0,8% em 2014 e de 1,5% em 2015.

Exclusivos