Crédito malparado das famílias atinge taxa recorde

O crédito malparado representava 3,2 por cento do total dos empréstimos a particulares, um nível recorde, segundo dados disponibilizados hoje pelo Banco de Portugal (BdP).

Os empréstimos concedidos pela banca portuguesa às famílias representavam 140,8 mil milhões de euros em Agosto; destes, 4.517 milhões (ou 3,2 por cento) são considerados de cobrança duvidosa.

A taxa de 3,2 por cento para o crédito malparado a particulares é a mais alta desde que há registo nas tabelas do Boletim Estatístico do BdP, cujos dados mais antigos são de Dezembro de 1997.

O crédito a particulares - que inclui o crédito à habitação (80,9 por cento do total), o crédito ao consumo (10,7 por cento) e para outros fins (8,4 por cento) - cresceu 0,2 por cento em Agosto relativamente ao mesmo mês do ano passado. Este crescimento ocorreu apenas no crédito à habitação (mais 1 por cento), enquanto o crédito ao consumo teve uma queda homóloga de 3,7 por cento.

O peso dos créditos malparados é mais significativo no crédito ao consumo e para outros fins (onde atinge taxas próximas dos 10 por cento), mas também está a subir no crédito à habitação - onde, numa massa total de 113,9 mil milhões de euros, 2.057 milhões são créditos de cobrança duvidosa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG