China põe mais 22,7 mil milhões para ativos europeus

A China injetou mais 30 mil milhões de dólares (22,7 mil milhões de euros) no seu fundo soberano para "comprar ativos" na Europa, revelou um responsável da China Investment Corporation (CIC), citado hoje na imprensa oficial.

A injeção ocorreu no final de 2011, proporcionando à CIC "nova liquidez para investir no estrangeiro", sobretudo "nos endividados países europeus" cuja crise "levou à venda de muitos ativos financeiros", noticia o China Daily.

"Quando a economia está boa, os países desenvolvidos preferem anexar algumas etiquetas políticas ao investimento proposto pela China. Mas quando a economia está doente, essas restrições são menores", disse àquele jornal Wang Jianxi, vice-diretor-geral da CIC.

A CIC foi criada em 2007, com um fundo de 200 mil milhões de dólares (151,5 mil milhões de euros), para "diversificar" a aplicação das elevadas reservas cambiais chinesas.

Desde então, a CIC tem investido em vários países, sobretudo nas áreas da energia e das infraestruturas, desde o Cazaquistão ao Canadá.

Em janeiro passado, a CIC comprou uma participação de 8,68 por cento na companhia britânica Thames Water, mas segundo Wang Jianxi, nos próximos cinco a dez anos "os mercados emergentes" serão "o alvo principal" do fundo soberano chinês.

As reservas cambiais da China, as maiores do mundo, somavam 3,18 biliões de dólares (2,41 biliões de euros) no final do ano passado.Mais de um terço daquele montante está investido em títulos do tesouro norte-americano, mas também neste domínio, o governo chinês já indicou que quer "diversificar" os seus investimentos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG