CGD garante que está a cumprir os cortes salariais

A Caixa Geral de Depósitos garantiu hoje que está a aplicar os cortes salariais a que está obrigada pelo Orçamento de Estado de 2014.

Em reação à notícia da agência Lusa que dava conta de que a CGD voltou este ano a proteger os seus trabalhadores dos cortes salariais, fonte oficial do banco público garantiu, em comunicado, que todas as imposições legais estão a ser aplicadas aos seus funcionários.

"A CGD esclarece que, tal como em 2013 e nos anos anteriores, cumpre escrupulosamente os cortes estipulados na Lei do Orçamento de Estado de 2014, pelo que não protegeu de maneira alguma - nem à luz da Lei o poderia fazer - os seus trabalhadores dos cortes salariais em 2014", lê-se em nota enviada à redação do DN.

A questão dos cortes salariais aos trabalhadores da CGD remonta a 2011, ano em que estes viram os seus salários serem cortados por imposição legal. "A aplicação das medidas de redução da LOE [Lei do Orçamento do Estado] 'em cima' das medidas de efeito equivalente aplicadas pela CGD nos anos anteriores, provocaria uma cumulação de efeitos que penalizaria duplamente os colaboradores da CGD, caso não fosse corrigida, como o foi em 2013", afirmou à Lusa fonte oficial do banco estatal.

Por isso, utilizou já no ano passado rubrica designada por "reversão das medidas de adaptação" o OE, que acaba por compensar os trabalhadores que de outra forma seriam atingidos por esse duplo corte, explicou ao DN fonte da CGD

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG