Carris quer rescindir com 300 trabalhadores este ano

A Carris pretende rescindir contrato por mútuo acordo com cerca de 300 trabalhadores este ano, disse hoje o presidente da transportadora pública, adiantando que até ao momento 80 funcionários já cessaram o seu vínculo laboral.

"É possível continuar a reduzir custos e isso passa, entre outras coisas, por uma dispensa de cerca de 300 trabalhadores, por rescisões de mútuo acordo", afirmou o presidente da Carris, José Manuel Silva Rodrigues, durante a apresentação dos resultados de 2011.

O presidente da Carris disse que há "disponibilidade por parte significativa" dos trabalhadores para rescindirem o vínculo laboral com a empresa, adiantando que, este ano, a empresa já rescindiu contrato "com 80 pessoas que mostraram disponibilidade para sair".

"Há espaço para continuar com este trabalho de rescisão", acrescentou, adiantando que a empresa está a fazer rescisões por um valor que oscila entre os 20 e os 25 mil euros no caso dos tripulantes.

Silva Rodrigues disse que no caso das rescisões de quadros da empresa o valor será "mais alto", sem, contudo, referir números.

O responsável mostrou-se confiante que o Governo disponibilizará os recursos financeiros para que a empresa possa avançar com esta redução de pessoal, uma vez que se trata de um dos objetivos definidos no Plano Estratégico dos Transportes.

A Carris fechou o ano de 2011 com um efetivo total de 2.634 trabalhadores, um valor inferior aos 2.771 funcionários que a empresa tinha no ano anterior.

Na terça-feira, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, disse que cerca de "um milhar de trabalhadores" das empresas públicas do setor já tinha mostrado disponibilidade para assinar rescisões por mútuo acordo.

No mesmo dia, o ministro da Economia e do Emprego disse que, no ano passado, foi registada uma redução de 1.900 trabalhadores nas empresas públicas de transportes.

A Carris registou um prejuízo de 29,3 milhões de euros em 2011, o que representa uma melhoria de cerca de 30 por cento em relação aos resultados líquidos negativos de 42,3 milhões de euros registados no ano anterior, segundo os dados divulgados hoje.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG