Bundesbank desconfia de taxas de juro baixas na UE

O presidente do Banco Central Alemão (Bundesbank), Jens Weidmann, mostrou-se preocupado com a política de baixas taxas de juro e apelou à continuidade da luta contra a crise, numa entrevista ao jornal 'Bild am Sonntag' a divulgar no domingo.

Segundo excertos da entrevista, citado pela agência noticiosa AFP, o patrão do Bundesbank juntou-se às críticas recentes do presidente do Deutsche Bank, Jürgen Fitschen, contra a política de baixas taxas de juro praticada pelo Banco Central Europeu (BCE).

"Preocupa-me que a evolução positiva dos mercados financeiros e, em particular, as baixas taxas de juro levem a aligeirar os esforços na luta contra as origens da crise" na zona euro, declarou Weidmann ao jornal.

A instituição monetária de Frankfurt dispõe de três taxas de juro principais, entre as quais a taxa diretora - que baixou, na semana passada, de 0,75% para 0,50%, um mínimo histórico - que determina o custo de financiamento das operações de crédito junto do BCE.

O responsável do Bundesbank volta também a pôr em causa a política de compra de obrigações por parte do BCE.

"Será uma boa ideia que nos tornemos reciprocamente responsáveis pelas nossas dívidas públicas?", questionou. "Na realidade, trata-se de avançar para uma união monetária mais sólida", acrescentou.

Na entrevista, Weidmann apela igualmente aos seus concidadãos para desconfiarem das baixas taxas de juro praticadas na Alemanha, recomendando-lhes prudência quando se endividam.

"O atual período de taxas baixas não deve ser considerado como um estado permanente e as pessoas não devem fiar-se nisso", sublinhou Jens Weidmann.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG