Bruxelas admite impacto de incertezas gregas em Portugal

A poucas horas do início da reunião que vai decidir o segundo resgate para a Grécia, a Comissão Europeia considerou que Portugal está a experimentar as consequências das "incertezas", considerando que "é importante" resolver o segundo programa de ajustamento para a Grécia.

"Infelizmente, Portugal e outros países frágeis experienciam o impacto destas incertezas. É importante resolver, o mais rápido possível o segundo programa para a Grécia, que também irá ter um impacto positivo para todos os Estados-Membros vulneráveis da União Europeia", afirmou o porta-voz para os Assuntos Económicos e Monetários.

A Comissão Europeia considera ainda que o nível de implementação do programa de ajustamento português "tem sido satisfatório".

"As reformas estão a ser aplicadas. Tanto no plano fiscal, como no plano estrutural", afirmou o porta-voz do comissário Olli Rehn.

No entanto, "é verdade que Portugal está a experienciar fenómenos externos do clima económico", considerou Amadeu Altafaj, dando como exemplos o "abrandamento da recuperação, em toda a Europa" que também "tem impacto em Portugal". E as "incertezas em relação à resposta global à crise e também a situação na Grécia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG