BlackBerry com perdas recorde já não é favorita

A canadiana BlackBerry, que chegou a ser a favorita dos líderes mundiais, registou perdas no valor de 5,9 mil milhões de dólares no ano fiscal de 2014. Até Barack Obama quer mudar para um iPhone.

O presidente norte-americano afirmou publicamente, em dezembro de 2013, que está impedido de usar o iPhone por razões de segurança. Sem autorização para usar o smarthphone da Apple, Barack Obama conseguiu, no entanto, mal assumiu a presidência norte-americana, garantir o direito a manter um BlackBerry. Contudo, esse telemóvel teve de ser adaptado pelos Serviços Secretos, para evitar, por exemplo, que seja localizado.

Também Angela Merkel usa um BlackBerry, de acordo com um artigo de hoje no site do britânico The Guardian. A chanceler alemã tem um BlackBerry Z10, que usa especificamente para as questões relacionadas com a sua posição no Governo. Para as questões ligadas ao partido, Merkel usa um Nokia 6260 Slide. Terá sido este o aparelho que foi vigiado pela NSA, segundo as notícias divulgadas em outubro de 2013.

A BlackBerry está a perder terreno no mercado dos smartphones, segundo confirmam os dados que a empresa apresentou hoje. No ano fiscal de 2014 (terminou a 1 de março), perdeu 5,9 mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros), nove vezes mais que em 2013. De acordo com um comunicado da empresa, a BlackBerry vendeu 3,4 milhões de unidades.

O iPhone da Apple e os aparelhos com sistema operativo Android, da Google, ganham o mercado e também conquistam a simpatia de alguns líderes mundiais. François Hollande é um deles. O presidente francês não prescinde do seu iPhone5, que alegadamente serve apenas para questões privadas. Para tratar de assuntos oficiais, o chefe de Estado usa um Teorem, aparelho muito seguro com capacidades de encriptação.

O seu antecessor, Nicolas Sarkozy, também teve um, mas, diz o The Guardian, não gostava dele, uma vez que era demasiado lento.

O novo primeiro ministro italiano Matteo Renzi usa, segundo o mesmo jornal, o iPhone. Aliás, o chefe de governo é apontado como um grande fã da Apple, tendo-se fotografado à porta da empresa e escrito uma mensagem de tributo aquando da morte de Steve Jobs, o seu fundador.

Vladimir Putin, presidente da Rússia, garante que não usa telemóvel, apesar de ter vários aparelhos. Já Medvedev, o primeiro-ministro russo, é fã da Apple e foi um dos primeiros a ter um iPhone4, quando Steve Jobs lhe ofereceu um aparelho, ainda este não tinha sido lançado.

O líder da Coreia do Norte foi fotografado, numa reunião em janeiro de 2013, com um smartphone que parecia ser fabricado pela companhia HTC, de Taiwan. Estima-se que Kim Jong-un seja um dos dois milhões de utilizadores de telemóvel na Coreia do Norte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG