BCE dá as boas-vindas à Letónia pela sua "merecida entrada"

O Banco Central Europeu (BCE) deu hoje as boas-vindas à Letónia como décimo oitavo país da União Europeia (UE) que vai adotar o euro como moeda, uma entrada "merecida" depois das medidas aplicadas para combater a crise.

"O BCE congratula-se pela nova ampliação da zona euro", apontou o presidente da instituição, Mario Draghi, num comunicado divulgado hoje, em Frankfurt.

A Letónia "ganhou o seu posto" no conjunto de países com moeda única e merece ser "parte integral" da união monetária da UE, refere o texto.

A república báltica entrou oficialmente hoje na zona euro, com mensagens de apoio das instituições da União Europeia e entre os receios que o estónios têm desta entrada.

Na sua mensagem de felicitação, o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, qualificou a entrada de "acontecimento" tanto para o novo Estado-membro como a própria zona euro.

Barroso recordou que as medidas tomadas pelo país para fazer frente à crise e disse que a entrada na zona euro é resultado dos "impressionantes esforços e da firme determinação das autoridades e do povo da Letónia".

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.