BCE baixa taxa diretora para mínimo histórico de 0,50%

A instituição liderada por Mario Draghi vai assim de encontro às expectativas dos mercados, que apostavam num corte da taxa de juro num momento de abrandamento da inflação, contração da economia da zona euro e de subida da taxa de desemprego.

Além do corte em 25 pontos base, de 0,75% para 0,50%, da taxa aplicada às principias operações de refinanciamento (o mecanismo pelo qual o BCE fornece a maior parte da liquidez ao sistema bancário), o Conselho de Governadores, reunido na capital da Eslováquia, em Bratislava, decidiu ainda reduzir a taxa da facilidade permanente de cedência de liquidez (através da qual empresta dinheiro aos bancos a um dia) para 1%.

No entanto, manteve inalterada em 0% a facilidade permanente de depósito, que permite aos bancos fazer depósitos na instituição também de muito curto prazo. Se o BCE reduzisse também a taxa a que remunera o dinheiro que os bancos aí depositam, isso significaria que os bancos deveriam pagar ao banco central da zona euro para depositar dinheiro naquela entidade.

O BCE baixou pela última vez a sua taxa de juro em julho de 2012, quando passou de 1% para 0,75%. Hoje o BCE voltou a pôr a taxa diretora num novo patamar mínimo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG