Almerindo Marques explica contratos das subconcessões

O antigo presidente da Estradas de Portugal (EP) Almerindo Marques vai hoje ao Parlamento explicar os contratos das sete subconcessões rodoviárias adjudicados no Governo de José Sócrates.

Na agenda da comissão parlamentar de inquérito às Parcerias Público-Privadas (PPP) estão as concessões rodoviárias Autoestrada Transmontana, Douro Interior, Baixo Tejo, Baixo Alentejo, Litoral Oeste, Algarve Litoral e Pinhal Interior.

De acordo com as previsões do gestor, que esteve à frente da EP, entre 2007 e 2011, estas sete subconcessões representariam um encargo líquido para a empresa pública superior a 267 milhões de euros em 2014, a preços constantes e sem IVA.

Almerindo Marques demitiu-se da presidência do Conselho de Administração da EP em março de 2011, por "motivos de ordem pessoal".

Em dezembro passado, o gestor foi alvo de buscas domiciliárias, no âmbito do inquérito às PPP, levadas a cabo pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal do Ministério Público e a Polícia Judiciária, segundo avançou a TVI.

No mesmo dia, também o ex-ministro das Finanças Teixeira dos Santos e o ex-secretário de Estado do Tesouro Costa Pina foram alvo de buscas no âmbito do mesmo inquérito.

Já antes, tinham sido alvo de buscas domiciliárias o antigo secretário de Estado das Obras Públicas Paulo Campos e os ex-ministros das Obras Públicas Mário Lino e António Mendonça.

A comissão de inquérito às PPP rodoviárias e ferroviárias resulta de duas iniciativas: uma do PSD e do CDS e outra do BE.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG