AHRESP defende baixar o IVA no orçamento retificativo

A associação da restauração e hotelaria (AHRESP) solicitou hoje uma descida do IVA no Orçamento Retificativo, alertando que o setor "não aguenta" até às conclusões do grupo de trabalho interministerial previstas para julho.

"Pedimos já uma baixa do IVA no Orçamento Retificativo, não podemos esperar pelas conclusões do grupo de trabalho", constituido na semana passada para avaliar o regime fiscal aplicável à restauração, afirmou o diretor da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), José Manuel Esteves.

De acordo com este responsável, o segundo trimestre deste ano "marca um ponto de fatalidade no setor", sendo o aumento da taxa de IVA para 23% o maior responsável pelo encerramento de "mais de 11 mil empresas" do setor no ano passado, um número que poderá chegar aos 28 mil ou 29 mil no final deste ano.

O volume de negócios do setor deve reduzir cerca de 1,7 milhões de euros em 2012 e 2013, sendo cerca de 1,3 milhões de euros resultado do IVA a 23%, salienta a associação, estimando que em 2012 e 2013 encerrem cerca de 39 mil empresas, das quais 32 mil devido ao impacto do IVA, e a extinção mais de 99 mil postos de trabalho, sendo que 83 mil empregos por acusa do IVA.

Nos últimos dois meses encerraram no país espaços emblemáticos como O Cortiço em Viseu, o D. Tonho no porto, o Manifesto, Espaço 10 e o Bocca em Lisboa, entre outros.

As consequências do IVA no setor vão ser debatidas nas Jornadas de 2013 da AHRESP, marcadas para 15 e 16 de abril, um encontro que a associação classifica como "as jornadas mais difíceis desde 1896", data da fundação da associação.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG